segunda-feira, 20 de maio de 2013

Globos de Ouro SIC 2013

Não consegui acompanhar em directo, mas hoje já depois de algum trabalho de campo, lá consegui ver as fatiotas. Infelizmente nenhum "Wow" (ou então eu sou muito esquisita...). 

À primeira vista, muito decote, e eu acho bem, "o que é bonito é para se ver", e como há ali muito patrocínio de cirurgia estética, há que divulgar, e pronto, assunto arrumado. 

Depois há muita coisa a raspar o espectáculo circense... Não sou realmente fã do lamê. 

Não vou destacar ninguém pela negativa, porque é um bocadinho óbvio, não vale a pena e cansa a beleza. 
Falo de quem trouxe algum entusiasmo à passadeira vermelha. 

Victoria Guerra (em Carolina Herrera): talvez o vestido a envelhecesse, mas era elegante. Aplauso para o batôn vermelho.



Ana Rita Clara (em Ricardo Preto): o vestido teve graça, mas não gostei dos sapatos.



Diana Chaves (em Micaela Oliveira): dos melhores da noite, se bem que o cinto dourado à Stella McCartney é bastante déjà vu. Mas boa escolha!




Andreia Rodrigues (em Diogo Miranda): do grupo dos vestidos "arejados", mas elegante.


Júlia Pinheiro (Marchesa): acho que lhe assentava bem e era um vestido vibrante como ela.



Dânia Neto: o mesmo cinto déjà vu, mas lindo corte, bonita cor para o tom de pele.



Raquel Strada (em Diogo Miranda): o peplum ainda a dar cartas, talvez exageradamente dramático, mas de bom gosto.


Ana Marques: a apresentadora tem uma luta com a balança, e realmente mais uns quilinhos iam deixá-la ainda melhor sob o drapeado bonito do vestido.



Ana Sofia: um vestido meio "à noiva", mas por isso mesmo serve de inspiração.


Áurea: ela é linda, o vestido também. Adoro o penteado. 


 Luísa Beirão (em Purificación Garcia): esta mulher = elegância (ponto).


Cláudia Vieira (em Cláudia Oliveira): não é que o vestido lhe ficasse mal, mas as costas destapadas eram demasiado idênticas às do ano passado. Sabemos que ela pode, mas...



Dalila Carmo (em Nuno Baltazar): gosto da actriz e gosto do estilista. Não consigo ver bem, mas acho que o vestido não desilude.


Catarina Furtado (em Nuno Baltazar): o regresso da filha pródiga (nem que seja só nesta noite) em grande estilo. É uma lady. 


Feitos os destaques, ficam imagens dos "para a próxima é que é (ou talvez não)".   




Nada pessoal contra a apresentadora, mas a Bárbara Guimarães já não acrescenta nada à condução da cerimónia. Nova cara urgente (e quando digo "nova" não me refiro só à idade).


O tema principal em torno da novela "Avenida Brasil" também é de uma falta de originalidade gritante para uns prémios que pretendem distinguir o que de melhor se faz em Portugal, mas enfim... que sou eu... Eu até fui ver a bola. :-P

Partilhem as vossas opiniões! Sugiram nomes aqui não mencionados (faltam-me muitos com certeza).  

2 comentários:

Márcia Leite disse...

Não gosto do vestido da Aurea, gosto do vestido da Sharam Diniz. Gostos! São como as cerejas! :)

Berta Balinho Moreira disse...

Sim, é verdade...